quarta-feira, 10 de setembro de 2008

O início da busca do segredo final



Hoje foi realizada o primeiro confinamento do feixe de prótons no LHC (Grande Colisor de Hádron) do CERN (Centro Europeu para Pesquisas Nucleares). Nessa máquina os prótons poderão ser acelerados em velocidades próximas a velocidade da luz. Quanto maior for a velocidade que essas partículas são aceleradas maior será massa delas. De acordo com a Teoria da Relatividade de Einstein nenhuma partícula pode atingir a velocidade da luz e por isso a parte da energia é transformada em massa. Dessa maneira, quando ocorrer as colisões a alta densidade de energia permitirá reproduzir condições próximas as que ocorreram nos instantes iniciais do universo.
A grande esperança desse investimento bilhonário (cerca de US$ 8 bilhões) é compreender o porque da existência da matéria na forma que conhecemos. O LHC poderá detectar o bóson de Higgs. Essa partícula foi prevista pelo modelo padrão das partículas elementares e representa a pista crucial para explicar a origem da massa. O modelo-padrão é uma teoria quântica que descreve três das quatro interações fundamentais da natureza (fortes, fracas e eletromagnéticas) e como as partículas fundamentais produzem toda a matéria.
Há alguns meses atrás houve uma polêmica sobre o funcionamento do LHC, pois algumas pessoas alegavam que como ele vai atingir altas densidades de energia poderia criar um buraco negro, e como conseqüência, engolir a Terra e destruir todo o universo. Contudo, os experimentos que serão realizados LHC tem densidade de energia muito menor do que as colisões de partículas oriundas dos raios cósmicos, que acontece com grande freqüência na alta atmosfera terrestre. Dessa forma, não ocorrerá o fim do mundo devido a esse experimento . Sobre isso já comentei aqui no blog.
Espero que em breve apareçam os primeiros resultados e novas perguntas surjam. Afinal, a resposta final talvez nunca seja alcançada.

2 comentários:

  1. Adilson, "todo esse jazz"(ou deveria dizer "RAP"?...) sobre o LHC vai acabar parecendo um fiasco como a "onda" que se criou em torno da última aparição do Cometa Halley...

    Os resultados vão precisar de alguns anos de meticulosa análise para comprovar alguma coisa com certeza. E eu sou um que não leva grande fé no Higgs.

    ResponderExcluir
  2. Caro João Carlos,
    Adorei a sua comparação com o cometa Halley. Parece que há uma certa mítica envolvendo o a tal descoberta da "partícula de Deus", que como você disse, pode dar em nada.
    Um abraço
    Adilson

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts