quinta-feira, 12 de abril de 2012

Viagens da Laura - Finalista no concurso internacional de Blogs da Deutsche Welle


Reproduzo abaixo a notícia vinculada na Agência FAPESP sobre o nosso Blog "Viagens da Laura", que faz parte da Radionovela "Verdades Inventadas". Ele concorre como melhor blog da língua portuguesa!
Agência FAPESP
O blog de divulgação científica Viagens da Laura, produzido pelo Laboratório Aberto de Interatividade (LAbI) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), está entre os finalistas do The BOBs, concurso internacional de blogs da emissora alemã Deutsche Welle.
O blog relata as aventuras de Laura, adolescente que é a protagonista da radionovela Verdades Inventadas, veiculada pelo LAbI em 2011. Na primeira fase do The BOBs, o blog foi selecionado para figurar entre os 11 finalistas na categoria “Melhor Blog em Português” por um júri internacional.
Na etapa atual, quem escolherá o vencedor é o público, que pode votar uma vez por dia no site do The BOBs, até o dia 2 de maio (no endereço http://thebobs.com/portugues/category/2012/best–blog–portuguese–2012). Para votar, é necessário estar conectado ao Facebook, Twitter ou a outras redes sociais.
Nos 37 episódios de Verdades Inventadas, que estão disponíveis no blog, Laura faz viagens imaginárias a partir de incentivos de seu novo professor de literatura. Nessas viagens, a protagonista encontra diversos personagens da ciência e das artes, como Einstein, Newton, Darwin, Mendel, Oswaldo Cruz, César Lattes, Clarice Lispector e Júlio Verne, com os quais passa por aventuras e descobertas.
O blog complementa as aventuras retratadas nos episódios da radionovela, com mais informações sobre os assuntos abordados e links para outros conteúdos relacionados.
Verdades Inventadas ganhou o prêmio Roquette Pinto e contou com o apoio da Rádio UFSCar e da Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico da UFSCar.
“Estar entre os finalistas do The BOBs já é um reconhecimento importante do esforço que temos empreendido para disseminar o conhecimento científico e tecnológico utilizando ferramentas diversas, pautadas na interatividade”, disse Adilson Oliveira, professor do Departamento de Física da UFSCar e coordenador do LAbI.

5 comentários:

  1. Pedro Costa1:49 AM

    Olá, boa noite, meu nome é Pedro Costa e sou aluno de mestrado em física de partículas elementares- no instituto de fisica teorica da Unesp. Estou lhe escrevendo pois tb tenho um blog - www.e0mc2.blogspot.com- e assisti uma entrevista no programa Roda Vida com o fisico, ou melhor ex fisico, Amit Goswami que me deixou bem indignado, pois ele criticou muito os cientistas, além de muito arrogante, menosprezou algumas áreas de pesquisa da física e ´negando debate, julgando-se sábio o suficiente para aceitar críticas. Tenho, já há um tempo, observado pessoas como ele levantarem teorias infundadas que agradam apenas os leigos, e estas pessoas, que se dizem cientistas, têm conquistado cada vez mais espaço, palestras, congressos, mídia etc, de tal forma que eles se sustentam uns sobre os outros como o Dr Sérgio de Oliveira, um outro que se chama Walace Lima, e muitos outros. Especulam sobre a física quântica e é como se hipnotizassem um público sedento sobre "estudos" que envolvam ciência e religião. Já fiz algumas publicações em meu blog sobre estes pseudocientistas, mas gostaria de saber a opinião de demais físicos e outros que levem a ciência a sério, sobre como lidar com esse modismo de falsas teorias, gostaria de saber se outras pessoas compartilham dos mesmos pensamentos que o meu. Pois chega a ser ofensivo a forma como eles colocam a física em questão. Aguardo contato. Grato. Pedro

    O link da entrevista é http://www.youtube.com/watch?v=nzfIwwp3Gc8

    ResponderExcluir
  2. Caro Pedro,
    O grande desafio da divulgação científica é justamente esse. Tentar mostrar a ciência como uma atividade humana e que se apresenta como a melhor possibilidade de entendermos o mundo a nossa volta.
    A divulgação de informações pseudocientíficas parecem que acontecem com muito mais facilidades do que as de fato científicas, pois muitas vezes esses "pesquisadores" falam exatamente o que as pessoas querem ouvir.
    Por isso estamos sempre nessa luta, utilizando os diversos meios de divulgação de informações para levar as informações científicas corretas, sem fazer pontes que não são possíveis.
    Um grande abraço
    Adilson

    ResponderExcluir
  3. Caro Adilson,
    muito bom saber que mais pessoas possuem essa visão. Estou preparando mais um post sobre essas questões pseudocientíficas com enfoque nessa entrevisa do roda viva e apontando os erros dessa pseudo-quântica. Estou lendo o livro do Osvaldo Pessoa, excelente físico, e fiquei muito contente de ver um texto dele na internet refutando o Amit Goswami, caso queira dar uma olhada http://www2.uol.com.br/vyaestelar/fisica_quantica_mistica.htm
    Abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  4. muito bom esse blog
    bem informativo...
    estão de parabéns

    e não deixem de visitar o meu blog

    " por dentro "
    http://noticiadotony.blogspot.com.br/
    e escultem a melhor Rádio da net...

    ResponderExcluir
  5. Leoberto1:13 PM

    Caro Pedro.
    Não sou físico, apenas gostava muito de física no colégio.
    Eu entendo a resistência justa contra quem se ponha a falar da ciência a que os físicos se dedicam, sem observar estritamente o método científico. E mesmo apoio.
    Mas vejo também que não podem impedir que a ciência que vocês produzem, com nobre dedicação em empenho, tenham impacto no pensamento humano como um todo. Até na literatura, até na poesia...
    A física quântica já fez um bem imenso - ou deveria ter feito - que é deitar por terra aquela arrogância do século XIX, de que a física já sabia tudo, já haviam descoberto tudo, de que Deus estava morto, e o materialismo havia triunfado, lançando a espiritualidade à condição de superstição e crendice. Achavam que o mistério havia acabado e com ele a religião, a espiritualidade. Mas o mistério aí está (e como ele é vasto!). Agora temos, pelo menos, o benefício da dúvida...
    Acho que a física quântica já dá mais plausibilidade a uma ideia de mundo espiritual, das antigas tradições pré-científicas. E isso por causa das coisas "fantasmagóricas", como as chamou Albert Einstein, que tem desvendado na intimidade da matéria, sem poder explicar ainda.
    Já não soa tão absurdo (penso eu), aos céticos não fanáticos, a transmissão de pensamento, por exemplo, se existe uma misteriosa troca instantânea de informações, independente do espaço-tempo, entre fótons entrelaçados. Já não soa tão absurdo (assim penso eu) o mundo invisível, dos espíritos, se há partículas que parecem desaparecer e ressurgir do nada, viajando aparentemente entre diferentes planos da realidade.

    Veja, falo em mais plausibilidade, não em prova científica oferecida pela física quântica. Isso fica para os físicos nos laboratórios. Torço por eles.

    Eu lhe parabenizo por uma crítica - pelo menos aqui - que não descambou para a postura de inquisidor, como fazem alguns céticos fanáticos, tomados por uma ideologia claramente antirreligiosa, babando de raiva, nada científica. Estamos todos envoltos no mistério, tateando nas trevas, em muitos campos, a arrogância de alguns é realmente ridícula.

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts