terça-feira, 6 de setembro de 2011

Está no ar a 25a. Edição da Click Ciência - Código Florestal

Editorial

 

Ajudando a definir um caminho seguro

 

Objetividade, imparcialidade e neutralidade são termos usados corriqueiramente para definir o Jornalismo e a Ciência. Entretanto, tanto Ciênca quando Jornalismo são atividades realizadas por pessoas que carregam consigo suas convicções, visões de mundo e ideais. Assim, por mais objetivas que se pretenda, essas duas práticas acabam por absorver parte dessas subjetividades que nos fazem humanos. No recente debate sobre a nova proposta do Código Florestal Brasileiro isto tem ficado evidente. Grande parte da imprensa apenas informa - e, em alguns casos, nem isso faz -, enquanto alguns poucos estudos ciêntíficos, produzidos com interesses econômicos óbvios, servem como argumento para as mudanças propostas. Enquanto isso, vários segmentos da sociedade, junto à grande maioria dos cientistas, se vêem amordaçados em uma discussão que pode definir os rumos do País.

Apesar de reconhecermos que a Ciência, assim como o Jornalismo, não detem verdades absolutas, temos a certeza de que ela pode ajudar a indicar os rumos mais seguros nesse debate. Pensando nisso, preparamos essa edição para ouvir o que os cientistas têm a dizer sobre o  Código Florestal. Como humanos, esses cientistas também carregam consigo diferentes visões de mundo e convicções políticas; no entanto, todos são unânimes em afirmar que a nova proposta deve ser barrada. Na reportagem "Código Florestal para que?", você fica sabendo quais são os aspectos mais criticados da nova proposta e, também, por que a legislação ambiental atual é tão importante na manutenção da qualidade ambiental. O impacto das novas medidas na intensificação dos desastres ambientais e das mudanças climáticas é abordado na matéria "Desastres, clima e o novo Código Florestal". Também na mesma seção você confere as reportagens: "O Código e a Biodiversidade"; "Agricultura pode (e deve) combinar com conservação"; "Um Código Florestal para a Sociedade"; e "Código Florestal para quem?".

Nosso entrevistado especial da edição é o professor José Galizia Tundisi, que falou de suas preocupações em relação aos impactos das mudanças no Código sobre os recursos hídricos. Na seção de artigos, vários colaboradores ajudam a esclarecer outros pontos importantes da questão. "Como as mudanças no Código Florestal Brasileiro afetarão a avifauna brasileira", da bióloga Marina Telles, explica de maneira clara o que o próprio título do artigo revela. Em "O papel da educação ambiental no processo de mobilização em defesa do Código Florestal", a bióloga Mayla Willik Valenti e colaboradores explicam o papel político da Educação Ambiental. Por último, mas não menos importante, a bióloga Carolina Stella Gonçalves trata das importantes relações entre a Ecologia e a Economia em "Economia além do Homem, Ecologia além da Mata". Como não poderia deixar de ser, na nossa seção de resenhas você encontra dicas bacanas, como o filme "Brincado nos campos do Senhor", de Hector Babenco, e o livro "Escolhas Sustentáveis", de Rafael Chiaravalloti e Cláudio Pádua.


Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts