quinta-feira, 25 de setembro de 2008

A China vai novamente para o espaço, enquanto o Brasil....


Hoje às 10:10 hs foi lançada a terceira missão espacial tripulada chinesa para o espaço. Desta vez três astronautas farão uma viagem de cerca 70 horas no espaço, incluindo uma caminhada espacial. Esse é o primeiro passo para poder construir estruturas no espaço.
A China está tendo esse desenvolvimento em tecnologia espacial muito rápido por causa da cooperação com a Rússia. De fato, a nava chinesa é uma adaptação do projeto Soyouz russo. Para realizar a saída da espaçonave serão utilizados trajes espaciais russos e chineses (derivados dos russos). Será mais um traje made in China.

Essa outra viagem chineses me fez lembrar da viagem brasileira, que teve uma dependência muito maior da tecnologia russa. O nosso astronauta foi de carona para a estação espacial, para depois se aposentar.

O feito chinês mostra bem a diferença entre o nosso programa de exploração do espaço e o desenvolvido pelo país da última olimpíada. É bom lembrar que a China é parceira do Brasil na construção de satélites de sensoreamento remoto, o projeto CBERS, que ajuda mapear o nosso território. Ainda estamos dando os primeiros passos nas viagens espaciais

Eles já fizeram uma bela olímpiada e já aprenderam viajar por conta própria até o espaço. Nós aqui pleitiamos uma olímpiada e levaremos muito tempo para mandar alguém para o espaço novamente (pelo menos com tecnologia brasileira).

5 comentários:

  1. Poxa, Adilson... “Essa outra viagem chineses me fez lembrar da viagem brasileira, que teve uma dependência muito maior da tecnologia russa.” Não foi bem assim, né?... Existe muita coisa podre no atraso do Programa Espacial Brasileiro e uma delas é exatamente que a única coisa que usamos da tecnologia russa foi uma vaga (paga a peso de ouro) na nave Soyuz, para mandar para o espaço o astronauta que nos custou outra fábula e já ia se aposentar sem sair de Canaveral.

    Não tem a menor graça comparar os programas espaciais de China e Brasil... Se você vai comparar isso, compare também a questão de conservação do meio ambiente nos dois países...

    ResponderExcluir
  2. Olá João Carlos,
    Eu não sei se você percebeu a minha ironia comparando as duas coisas (a viagem dos chineses e a do brasileiro). Estou exatamente querendo mostrar que se quisermos um dia ir para o espaço é necessário que seja desenvolvido algo de forma consistente, e não pegando carona para plantar feijão no espaço.
    De fato, eu não acho uma boa um país como Brasil investir nisso. Há coisas mais importantes, como é o caso da parceria que o Brasil faz com a China, utilizando os satélites CBERS para gerar imagens do nosso território.
    Não acho que a China seja um primor de desenvolvimento. Tenho certeza que algumas dessas coisas que eles fazem hoje eles vão dar com os burros n´água. Talvez essa viagens espaciais sejam uma dessas coisas.
    Um grande abraço e obrigado por sempre colocar os seus pertinentes comentários aqui.

    Adilson

    ResponderExcluir
  3. De fato, eu não acho uma boa um país como Brasil investir nisso. Há coisas mais importantes, como é o caso da parceria que o Brasil faz com a China, utilizando os satélites CBERS para gerar imagens do nosso território.

    É nesse "coisas mais importantes" que mora o perigo, Adilson. A sua área de pesquisa é, talvez, a mais afetada... Quem patrocina o estudo de biologia é, na maioria esmagadora, a indústria farmacêutica e, um pouco menos, a de alimentos. E como sofre o Brasil porque aqui só há "braços" de multinacionais, com seus laboratórios multimilionários já montados no exterior...

    A "exploração espacial", em si, é um "consumo suntuário". O bom dela é o desenvolvimento tecnológico que ela provoca e que é aplicável em pesquisa básica em todas as áreas do conhecimento.

    O Brasil chegou a montar um modesto Programa Espacial que, entre muitas outras coisas, previa não só a formação de astronautas (só foi um... o Marcos Pontes foi para a NASA ainda Capitão e já estava no ponto da carreira militar em que se pode pedir "aposentadoria") e a construção, no Brasil, de partes da Estação Orbital Internacional (essa parte, nem saiu do papel...)

    Justamente porque havia "coisas mais importantes" (como hospitais... que nunca sairam do esqueleto do prédio; escolas... que têm o prédio, mas não os professores; laboratórios... que ainda estão com os equipamentos dentro dos caixotes; etc. e ad nauseam...)

    ResponderExcluir
  4. Nao e' so' na area espacial que as outras "prioridades" tomam lugar, vejam o caso do submarino atomico.

    Se depender dos politicos ele nao vai chegar nem a naufragar.

    Um abraco,

    Alan

    ResponderExcluir
  5. Caro Alan,
    Sem dúvida a sua lembrança é oportuna, pois no Brasil isso acontece sempre.
    Obrigado pelo comentário
    Um Abraço
    Adilson

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts