quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Está no ar a 3a. edição da Click Ciência



Estamos lançando um novo número da Revista de Divulgação Científica Digital Click Ciência. Esse mês o número é um especial sobre o câncer. Vejam o Editorial desse mês


Atualmente, cerca de 40% das pessoas no mundo desenvolverão câncer (neoplasia ou tumor maligno) ao longo da vida. O número é alto e está relacionado com diversos fatores, sendo 10% os hereditários. Os outros 90% resultam de mutações induzidas por fatores ambientais ou pelo modo de vida de cada indivíduo. Como esse é um assunto muito presente em nosso cotidiano a terceira edição da revista digital Click Ciência aborda as origens do câncer, as alterações que ocorrem nas células do nosso corpo por causa desta doença, entre outros.

Na reportagem "Caranguejos invasivos" você conhecerá o significado da palavra câncer e o modo como ele surge. Aprenderá as características que tornam as células cancerosas tão distintas e mais "poderosas" do que as células normais. Descobrirá quais as técnicas mais apropriadas para cada tipo de neoplasia e as mais utilizadas no Brasil e no mundo.

A reportagem "As origens de um câncer" aborda a diferença entre as duas formas de surgimento do câncer, a germinativa e a somática. O médico José de Almeida Junior Almeida, de São Carlos, e a professora Débora Gusmão, do Departamento de Medicina (DMed) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) explicam que as mutações estão presentes em todos os cânceres e que apenas em 10% dos casos são germinativas. Na maior parte das vezes, o câncer é causado por uma mutação somática, que ocorre por meio de mutações induzidas por fatores ambientais ou pelo modo de vida da pessoa.

No caso do câncer ser hereditário, é possível prever se um membro da família tem pré-disposição para a doença. Isso é possível com o Aconselhamento Genético do Câncer, um ramo da Medicina que utiliza além de uma análise clínica detalhada, exames moleculares para detectar genes que caracterizam a doença. Esse tipo de exame, entretanto, só é indicado no caso da análise clínica constatar que este membro da família é um possível "herdeiro" da doença. Esse assunto é abordado na reportagem "Prever é possível só em alguns casos".

Nas situações nas quais a hereditariedade não é o fator determinante o cuidado permanente com o estilo de vida é indispensável para prevenir a doença. Estudos realizados pelo professor Marcelo Marcos Piva Demarzo do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Carlos mostram que a prática de atividades físicas é importante para a prevenção, porém, ela deve respeitar determinados limites. A atividade exaustiva,segundo o estudo, pode ter efeito contrário no tratamento de pacientes com câncer, contribuindo até para o aumento da doença. Esse assunto polêmico é abordado na reportagem "Atividade física ajuda ou atrapalha?".

Para casos de câncer de pele e outros tipos de cânceres localizados um novo tratamento que apresenta elevada eficácia tem sido utilizado: a terapia fotodinâmica (TFD ou PDT, do inglês Photodynamic Therapy). Para falar sobre esse assunto, a nossa equipe entrevistou o físico Vanderlei Salvador Bagnato, do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (CePOF), professor do Instituto de Física de São Carlos/ USP, coordenador dos grupos que implantaram e estudam a técnica no Brasil. Hoje, a terapia fotodinâmica, é um dos instrumentos de cura para diversos tipos de câncer. Na entrevista, Bagnato fala da técnica desde a sua idealização até a implementação em centros de tratamento do câncer no Brasil. O físico também fala sobre as vantagens da adoção da terapia fotodinâmica no sistema público de saúde e da pesquisa científica no Brasil.

O articulista deste mês é o oncologista André Deeke Sasse, especialista e professor de Medicina Baseada em Evidências (de que lugar???). Em seu artigo , Sasse nos conta dos motivos que fazem do câncer uma doença rara em crianças. O artigo, intitulado "Câncer em crianças", traz dados sobre a doença neste grupo, os fatores de risco, os sentimentos que envolvem os familiares das crianças.

A colunista da revista Click Ciência, Márcia Tait, aborda nesta edição a falta de P&D voltada para as chamadas doenças tropicais ou negligenciadas. Por falta de remédios ou inexistência de tratamentos adequados, essas doenças matam, por ano, cerca de 14 milhões de pessoas em diversas regiões do mundo, explica Márcia. A autora aborda a falta de investimentos em P&D pela indústria farmacêutica mundial para esses tipos de doenças e como parte do problema poderia ser resolvido. A coluna leva o título "Saúde negligenciada".

Adilson de Oliveira, também colunista desta revista, aborda na coluna deste mês um tema bastante em pauta na mídia brasileira, as chuvas de verão. Ele aborda os prós e contras das chuvas e, principalmente, a importância deste líquido para a existência de vida na Terra. O texto, intitulado "Águas de verão" explica alguns fenômenos relacionados com a água que lhe atribuídos por conta da sua formação molecular.

Na seção Resenhas, contamos com a participação especial da professora Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo, do Departamento de Ciências Fisiológicas da Universidade Federal de São Carlos. Ela apresenta uma resenha do filme o Óleo de Lorenzo, drama baseado em fatos reais e dirigido por George Miller. Na resenha, Heloisa aborda as dificuldades dos pais de Lorenzo na busca científica da cura para a doença rara do filho. Explica o que caracteriza essa doença genética e incurável, denominada adrenoleucodistrofia (ADL).

O tema principal abordado nesta edição é o do câncer, um assunto amplo e complexo. Entretanto, nos limitamos a algumas áreas dentro deste tema. Esperamos, com esta abordagem, contribuir para o esclarecimento de algumas dúvidas que muitos temos quando se trata desta doença e seus tratamentos. Esperamos, também, que os demais assuntos desta edição colaborem com o seu conhecimento sobre a ciência e sua relevância, principalmente em nosso cotidiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts