quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Os 40 anos da Sociedade Brasileira de Física



Nos dias 02 e 03 de outubro houve um evento comemorando os 40 anos da SBF - Sociedade Brasileira de Física. Foram uma série de palestras sobre os principais temas de pesquisa em Física no Brasil. Foi interessante poder ver as várias áreas da Física, uma vez que devido ao tamanho da comunidade (algo de 6000 doutores em Física no Brasil) não existe um evento onde todos se encontram. Neste, em particular, tinha a presença de aproximandamente 500 pessoas no Auditório Elis Regina em São Paulo.

Em particular, a sessão de encerramento, na qual foram homenageados todos os ex-presidentes ainda vivos, foi muito interessante. Encontrar com alguns que fizeram (e fazem a história) da Física do Brasil é sempre facinante. Alguns estudantes de graduação que compareceram ao evento (infelizmente poucos) puderam conhecer e se orgulhar de um pouco do que a da Física brasileira já fez e quanto os físicos sempre estiveram empenhados não somente na própria Física, mas também em momentos políticos difíceis que o Brasil já viveu, como na época da ditadura militar.

Entretanto, o mais curioso de tudo foi a auto exaltação dos Físicos. Como para o encerramento estavam convidados o Ministro da Ciência e Tecnologia, Prof. Sérgio Rezende (que também é físico, mas não pode comparecer devido a problemas no vôo), o Diretor da FAPESP (Carlos H. de Brito da Cruz, também físico), Ronaldo Motta (secretário do MEC, também físico) lembrou-se que muitos físicos brasileiros ocuparam (ou ocupam ) cargos de destaque na área da pólitica científica brasileira. Alguns deles são chamados para trabalhar em áreas que a sua formação científica não tem relação com a atividade que vão desempenhar. Dessa forma, os físicos podem fazer qualquer coisa, pois eles são capazes de aprender tudo, ou seja, "os físicos são o máximo!"

Então, uma pergunta surgiu. Por que os físicos são (ou se acham) o máximo? Qual a evidência científica disso? Essas perguntas foram feitas pelo físico Constantino Tsallis, um dos mais importantes físicos teóricos brasileiros.

A resposta para essas perguntas, dada por ele mesmo, da forma que eu entendi, seria o seguinte:

Segundo Aristóteles a maior feito da capacidade humana é a criação de metáforas, pois elas permitem a compreensão do mundo. Segundo Tsallis, os físicos talvez sejam bons em justamente fazer isso, ou seja, criar as suas metáforas (modelos) para compreender o mundo. Daí, então, a empáfia dos físicos de se acharem o máximo.

3 comentários:

  1. Oi, Adilson!

    Sou sua parceira do "Roda". Gostei da sua franqueza e ousadia, como de seus pares em se autoproclamarem 'o máximo'! É para poucos, devo concordar.
    Gostaria de esclarecer um detalhe: apesar de o Brito Cruz ter dedicado sua carreira acadêmica aos estudos da física; ele não é Engenheiro, formado pelo ITA?

    ResponderExcluir
  2. Cara Silvia,
    Obrigado pelo comentário.
    De fato o Brito Cruz e engenheiro formado pelo ITA e o Sergio Rezende é engenheiro eletrônico de formação. Contudo, ambos sempre se declaram como físicos, pois sempre trabalharam com a Física.
    A idéia do meu post foi relatar esse fato que foi "sui generis".
    Um abraço
    Adilson

    ResponderExcluir
  3. parabéns para a Sociedade Brasileira de Física , que gozem de muitos mais anos

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts