quinta-feira, 24 de agosto de 2006

ICM 2006 - quarto dia

Hoje assisti alguns trabalhos interessantes sobre nanopartículas. O estudo de nanopartículas magnéticas é uma das áreas mais ativas do magnetismo, pois elas estão relacionadas com o atual desenvolvimento tecnológico, principalmente na área de gravação magnética.
Um trabalho diferente foi o do T. Herrmannsdoerfer que utilizou uma bactéria como o substrato para produzir as nanopartículas, obtendo materiais magnéticos e supercondutores. Essa mais uma das típicas idéias que somente físicos vão ter.
Uma outra informação interessante: A conferência teve 2003 inscritos, sendo que 1000 são japoneses. A segunda maior delegação é coreana, depois seguida pela alemã. Foram apenas 86 americano, totalmente desproporcional ao peso que eles tem nessa área. Franceses e ingleses totalizaram 56 cada. Argentinos e portugueses apenas 2.
Os brasileiros totalizaram 25!!!!
Como alguns colegas brincaram, o custo da nossa partícipação não dá nem uma daquelas ambulâncias superfaturadas!!!
Faltou o ministro da Ciência e Tecnologia, o Prof. Sérgio Rezende, que devido a imprevistos de última hora não compareceu. Ele foi o chairmain dessa conferência quando ela foi realizada no Recife em 2000 (ICM 2000). Nesse link há um pouco da história do magnetismo no Brasil, escrito pelo Prof. Rezende

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts