quarta-feira, 29 de março de 2006

A Mecânica Quântica no Cérebro

Em um artigo que será publicado amanhã na Nature (30/03/2006) aparece um interessante ponto de vista a respeito da natureza da consciência. Alguns autores, como Roger Penrose, já apresentaram propostas para explicar a consciência a partir de processos de computação quântica que o nosso cérebro poderia fazer. Neste artigo da Nature os autores Christof Koch e Kalus Hepp defendem que tal idéia é desnecessária, pois devido aos processos bioquímicos e neurológicos seria absolutamente impossível manter-se estável um estado de coerência quântica. Para esses autores a neurobiologia dará conta disso.
Do meu ponto de vista a consciência é algo que ainda levará muito tempo para ser compreendida. Processos muito mais elementares ainda não temos a minímia idéia de como funcionam. Talvez com o avanço de técnicas de mapeamento do cérebro melhorá um pouco a nossa compreensão do funcionamento do que fato é a nossa essência. Entretanto, essa é uma área que ainda estamos apenas engatinhando.
Quem quiser ver o artigo completo, leia no link:

http://www.nature.com/nature/journal/v440/n7084/full/440611a.html

11 comentários:

  1. Será certamente uma das príncipais investigações deste Século.
    Grande Abraço,

    ResponderExcluir
  2. Caro Jorge,
    Sem dúvida esse será um grande desafio, que levará a resultados que ainda nem podemos imaginar
    Um abraço
    Adilson

    ResponderExcluir
  3. Segundo a visão de David Chalmers, como a consciência trabalha, é um problema simples, mas não fácil de resolver.
    O problema realmente difícil é entender como e porque ela surge.

    abraços

    ResponderExcluir
  4. Caro Norberto,
    Sem dúvida, o aparecimento da consciência em seres vivos é algo mais complexo ainda. Eu ainda acho que essa proposta quântica é algo ainda muito maluco. É dar um chute muito grande.
    Um abraço
    Adilson

    ResponderExcluir
  5. Votos de uma Boa Páscoa.

    ResponderExcluir
  6. Father ours, that stays in the sky, santificado either your name, comes we it your kingdom, either made your will thus in the land as in the sky. The bread ours of each day in you give them today. E you pardon us our offences, thus with us we pardon to who in has offended them. E in you do not leave them to fall in temptation, but you exempt us of the evil. Amen!
    www.robertocarlosmoreira.com.br

    ResponderExcluir
  7. Joedson7:29 PM

    Será que nos estudos sobre a relação entre o mental e o físico estamos vivendo a fase denominada por Thomas Kuhn de estágio pré-paradigmático de uma disciplina científica?

    ResponderExcluir
  8. Caro Joedson,
    Sem dúvida vivemos em uma fase de transição. Acredito que com os avanços na área de neurociências logo poderemos ter uma mudança radical na forma que na maneira de encarar o cérebro e a inteligência.

    ResponderExcluir
  9. Adilson.
    Você já viu o filme/documentário: Quem somos nós - "what the bleep do we know?" ? Se afirmativo, qual a sua opinião?

    ResponderExcluir
  10. Caro Ney Robson,
    O documentário que você se refere trata da utilização dos conceitos da Mecânica Quântica aplicada para explicar as relações humanas, como por exemplo, que os sentimentos influenciam a forma da molécula de água?
    Se foi esse documentário eu assiti e não gostei. É uma espécie de "O Tao da Física" mais atualizado.
    Sem dúvida não entendemos ainda muita coisa, mas fazer transposições diretas de conceitos como o Principio da Incerteza e dualidade onda-partícula para explicar sentimentos humanos, ainda estamos longe.
    Um abraço
    Adilson

    ResponderExcluir
  11. Chico Pacheco11:09 AM

    gostaria de indicar para os interessados no assunto o filme "quem somos nós?"... é um filme interessante e trata específicamente sobre este assunto. abraço

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos desde que sejam pertinentes aos posts